Sábado, 9 de Dezembro de 2006

Investigação sob disfarce da ANIMAL revela crueldade de que animais de criação são vítimas

Investigação sob disfarce da ANIMAL revela crueldade de que animais de criação são vítimas em unidades agro-pecuárias em Portugal
Investigadores da ANIMAL trabalhando sob disfarce filmaram a realidade escondida da vida e morte dos animais de criação na indústria pecuária em Portugal :: Investigação especial revela a verdadeira origem da carne, dos ovos e do leite que chegam aos pratos dos portugueses :: Violência na condução dos animais, atordoamento ineficaz e abate de animais ainda conscientes são actos ilícitos expostos por esta investigação que serão reportados pela ANIMAL numa queixa formal ao Ministério da Agricultura, à Direcção-Geral de Veterinária e à Comissão Europeia
 
A ANIMAL revela agora o resultado de uma investigação especial que conduziu entre Setembro e Outubro passados em unidades agro-pecuárias do distrito de Lisboa e Leiria. Trabalhando sob disfarce nesta investigação, investigadores da ANIMAL tiveram acesso privilegiado aos escondidos bastidores da produção de carne, ovos e leite em Portugal, conseguindo filmar unidades de criação de porcos, leitões, frangos, perus, patos, vacas e vitelas, o transporte destes animais, a maneira violenta como são conduzidos, a maneira como são mantidos nos pontos de transferência e, por fim, a maneira como são mortos.
 
Esta investigação especial permitiu expor a crueldade imensa da produção agro-pecuária intensiva em Portugal, num contexto em que os animais são criados, tratados, mortos e processados por um lado como autênticas máquinas e, por outro lado, como meros instrumentos de obtenção de lucro. Esta investigação deixa claro como a produção animal assenta numa total ausência de qualquer preocupação real com os animais – mesmo em pontos que são legalmente estabelecidos como importantes no que se refere a legislação comunitária e portuguesa de bem-estar animal que não é cumprida –, mostrando também o impacto ambientalmente muito negativo da indústria pecuária, sendo especialmente focado o caso das altamente poluentes suiniculturas, sendo particularmente exposto nesta investigação o caso de várias populações do distrito de Leiria, particularmente na zona da Ribeira dos Milgares, que se sentem afectadas nos seus modos de vida e na ausência de qualidade ambiental das zonas onde vivem devido à existência de muitas suiniculturas.
 
Veja em www.TVANIMAL.org o vídeo “O Que Tem Realmente no Seu Prato?” produzido pela ANIMAL, que condensa os resultados desta investigação que mostra a maneira como toda a manipulação e exploração mecanizadas dos animais de criação seguindo exclusivamente critérios e objectivos de lucro não só é uma afronta aos direitos dos animais, ou mesmo simplesmente aos padrões de bem-estar legalmente definidos que regulamentam esta actividade, e ao equilíbrio ambiental do planeta e o modo como este é vital para as populações, como tem também um impacto negativo na saúde das pessoas que consomem carne, ovos e leite. Animais de espécies de crescimento rápido geneticamente seleccionadas para tal, como é o caso dos frangos, animais criados e mantidos em ambientes doentes, cheios de humidade e com elevados graus de amónia no ar, sobrelotados, colocados em gaiolas exíguas ou cubículos de bateria, ou mantidos simplesmente sobre um chão de cimento sujo e escorregadio, são “tratados” com antibióticos que não visam prevenir problemas de saúde, antes pretendem tentar minorá-los enquanto a indústria produz e aceita, conscientemente, estados generalizados de ausência de saúde e bem-estar nos mesmos animais que depois vende aos consumidores, já em forma de alimento.
 
Segundo Miguel Moutinho, Presidente da ANIMAL, “esta importantíssima investigação especial permite-nos trazer ao conhecimento do público o que aconteceu à refeição das pessoas que se alimentam de produtos animais antes de chegar ao seu prato. O público português fica agora a saber, com imagens actuais e captadas na região mais desenvolvida do país, de que modo a indústria agro-pecuária produz a carne, ovos e leite que vende. Esta informação, que de outro modo não seria obtida nem seria fornecida nestes termos, mostra a violência horrenda de que são vítimas bebés como os leitões, as vitelas, os frangos, os patos e os perus, que são todos mortos com poucas semanas ou poucos meses de vida, e mostra a autêntica miséria em que vivem e morrem vacas e porcos, desde logo. Foram obtidas provas de tratamento não só cruel como ilegal de animais, na condução violenta destes para os camiões de transporte, na maneira como os trabalhadores desta indústria lidam com os animais de um modo geral, na maneira como o atordoamento dos animais é tantas vezes incorrecto e ineficaz, sendo feito com a pressa própria de uma indústria que busca apenas o lucro e com a desconsideração pelo sofrimento e pela vida de animais típica de uma indústria que vampiriza milhares de milhões de animais complexos, inteligentes, social e emocionalmente muito especiais e desenvolvidos, todos os anos”.
 
“Ao mesmo tempo que o vídeo «O Que Tem Realmente no Seu Prato?», que a ANIMAL produziu em português e em inglês, servirá para informar o público acerca de todas estas questões sendo feito um apelo muito forte para que os consumidores optem por um regime alimentar muito mais saudável e ético como é o caso do vegetarianismo, foram identificadas situações de crueldade que são proibidas pela legislação comunitária e portuguesa aplicável, com particular destaque para a violência usada na condução, a incorrecção do atordoamento e a maneira horrenda como o abate é feito sem total insensibilização dos animais, o que motivará uma queixa formal que a ANIMAL enviará ao Ministério da Agricultura, à Direcção-Geral de Veterinária e à Comissão Europeia, que tem que saber que Portugal continua a não fazer cumprir satisfatoriamente a legislação de protecção dos animais de criação que está obrigado a cumprir e fazer cumprir”, afirmou Rita Silva, Vice-Presidente da ANIMAL.
 
“Recentemente, o gabinete do Ministro da Agricultura, em resposta a um requerimento do Deputado Luís Carloto Marques acerca da situação quase anárquica acerca da vigência e aplicação de legislação de protecção dos animais, incluindo dos animais de criação, respondeu que está tudo bem, que há fiscalização e que há cumprimento da legislação e que a Direcção-Geral de Veterinária até tentaria avançar com iniciativas de educação junto do Ministério da Educação. Pois bem, essa resposta fantasiosa – que contraria, desde logo, o senso comum de qualquer cidadão português minimamente desperto que sabe bem como são tratados os animais em Portugal – fica agora definitivamente invalidada, uma vez que se olhe para os resultados desta investigação. Esta situação tem que mudar com urgência e cabe ao Governo assegurar que assim seja”, afirmou ainda Miguel Moutinho.
 
Com esta investigação, a ANIMAL lança também o seu novo site TVANIMAL.org, que passa a ser um importantíssimo recurso informativo para o público português, que poderá passar a poder visionar os vídeos e fotografias, assim como a consultar os relatórios, resultantes das actividades de investigação da ANIMAL relativas à situação dos animais em Portugal. Este site foi produzido pela WebNation.pt – que também produziu os sites www.SejaVegetariano.org e www.AnimaisExcepcionais.org, vitais para as campanhas agora reforçadas por este vídeo – e é patrocinado pelo Marchig Animal Welfare Trust.
 
 
 
“O Que Tem Realmente no Seu Prato?” :: TVANIMAL.org :: Informação e Intervenção Pelos Animais
 
 
Por favor, não guarde esta mensagem apenas para si: Reencaminhe-a para as pessoas que conhece que também se preocupam com os direitos dos animais
 
Acredita que o trabalho da ANIMAL é importante?Então, por favor, APOIE-O :: Faça o seu Donativo HOJE mesmo.
A ANIMAL é uma organização não-governamental que desenvolve campanhas de educação e informação do público acerca dos animais, das suas características e necessidades, e do modo como estes são negativamente afectados pelas diversas indústrias que os exploram. Além destas acções de educação, a ANIMAL desenvolve também campanhas de alerta e protesto, investigações especiais e denúncias públicas, envolvimento da comunicação social na exposição pública da crueldade contra animais, acções judiciais, e contacto com autoridades e decisores políticos, para promover o avanço do respeito pelos direitos dos animais e a sua protecção.

Por favor, faça HOJE um donativo à ANIMALe apoie o trabalho desta em defesa dos direitos dos animais. NIB:003600939910003447469 (Montepio Geral).
Com apenas 1 Euro por Semana = 4 Euros por Mês, pode ajudar a ANIMAL a salvar animais e defender os seus direitos em Portugal. Faça o SEU donativo HOJE MESMO.

Torne-se sócia/o da ANIMALe apoie a organização na defesa dos direitos dos animais. Inscreva-se através de socios@animal.org.pt.

Junte-se à Lista de Activismo da ANIMAL. Inscreva-se enviando um e-mail em branco para activismo_animal-subscribe@yahoogroups.com.
Junte-se ao Grupo de Redacção de Cartas da ANIMAL. Inscreva-se enviando um e-mail em branco para cartas_animal-subscribe@yahoogroups.com.

Para mais informações, por favor contacte a ANIMAL através do e-mail info@animal.org.ptou visite o site www.animal.org.pt.
Se não quiser continuar a receber as Notícias da ANIMAL, por favor envie um e-mail com a inscrição "Sair" para noticias@animal.org.pt.
publicado por linkanimal às 11:34

link do post | comentar | favorito

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

.posts recentes

. hey

. Situação catastrófica e u...

. fotos dos meninos que ama...

. Duquesa - precisa de inte...

. Por favor Vote!! Debate s...

. FW: Conheçam os que serão...

. Cão perdido - arraçado de...

. ...

. Gatinho para adopção proc...

. BALU - Cão jovem X labrad...

.arquivos

. Abril 2012

. Agosto 2009

. Abril 2009

. Fevereiro 2009

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Dezembro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.mais sobre mim

.subscrever feeds